domingo, 17 de fevereiro de 2019

A paz melódica

Caros amigos e amigas, a mansidão e a serenidade conquistam os corações e representam a felicidade, com a vantagem de jamais estragarem sua saúde tão preciosa com estresse;

Podemos ser tão felizes como o sapo que canta na lagoa, o pássaro que canta no galho de uma árvore e uma criança que brinca de roda no quintal de casa;

A paz melódica da garganta dos pássaros, da harmonia dos acordes musicais e da esperança dos corações sonhadores fazem bem à saúde! Alimenta o cérebro e controla as emoções.

- Um ótimo domingo e uma maravilhosa semana a todos!

Dudé Viana

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Felizes os que cantam ou gritam as dores do mundo!

Felizes os que sofrem calúnia, difamação e injúria, mas respondem com amor e atitude diante da violência dos covardes, porque preferem a arte de não perder a calma e de manter a consciência em paz;

Felizes os que não querem a maldade que mata, porque preferem o caminho dos mansos;

Felizes os que têm fome e sede de justiça e são limpos de coração;

Felizes os que sofrem todo o mal contra vós, mas mostram que é possível dar a volta por cima dos problemas;

Felizes os que cantam ou gritam as dores do mundo!

Dudé Viana

domingo, 10 de fevereiro de 2019

Ah, se todos falassem uns com os outros e de coração aberto

O mundo seria bem melhor se todos tivessem mais força, mais fé no Criador, determinação e nunca deixassem de sonhar. Todos teriam mais anos de alegrias, de abraços, carinhos e dedicações.

Ah, se todos falassem uns com os outros e de coração aberto:
- Sinto tanto orgulho de você!
- Continue sendo sempre essa pessoa maravilhosa e amiga que você é!
- Muito sucesso na sua vida, você merece muito mais!
- Tenho certeza que esse ano você vai vencer!
- E para você mesmo, eu me amo!

Ah, se todos fizessem uma higiene mental e cada um construísse em sua mente a sua própria imagem livre dos vícios que lhe jogam no fundo do poço...

- Um ótimo domingo e uma maravilhosa semana a todos!

                                                     Foto: Wellington Garcia
  
Dudé Viana no DPW Estúdio

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Dudé Viana e Wanderléa

A todos peço licença
Pra minha foto postar
Com a Wanderléa e eu
Não é fácil se encontrar
E esse abraço coladinho
Vale a pena relembrar.

(Show no TAM em Natal
No qual fiz a abertura
Em 17/10/2000.
Foto: Evaldo Gomes)

Dudé Viana e Wanderléa

domingo, 3 de fevereiro de 2019

Bom Dia! Não desanime jamais.

Se viver não é fácil, parar no meio da estrada é mais difícil.
Siga em frente, corajoso e forte, porque o sucesso sorri somente para aqueles que não param de acreditar.

- Qual é o caminho real para a felicidade?
- Há quem seja feliz com coisas pequenas, enquanto outros são infelizes em seus castelos de luxo!

Um ótimo domingo e uma maravilhosa semana a todos!

Dudé Viana

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

A alegria que é amar

Um dia em terra fértil
Você irá viver
E olhar em vastos campos
A paz de um bem querer
Bichos e plantas a colorir
O chão verde para você.

Que vai revelar em casa
Sua história e se firmar
Nesse mundo tão arisco
Que você quer transformar
E espalhar por toda parte
A alegria que é amar.

Dudé Viana

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Epitácio Andrade relança livro "Fui ao Croatá... - Uma Geolovehistory", no próximo dia 14 em Natal, com intervenção performática do artista patuense Conde Suassuna

Capa do livro

Durante o relançamento do livro Fui ao Croatá... - Uma Geolovehistory, do médico psiquiatra e pesquisador social Epitácio de Andrade Filho, que ocorrerá no dia 14 de fevereiro de 2019, a partir das 19 horas, no Bardallos Comida & Arte, localizado no bairro Cidade Alta, em Natal. O artista patuense Conde Suassuna fará uma intervenção performática, envolvendo poesia, música e teatro.

Conde Suassuna é graduando do curso de Letras (UERN-Patu), onde desenvolve seu trabalho de conclusão do curso (TCC) sobre a análise do discurso social do cangaço de Jesuíno Brilhante refletido na música a cantiga de Jesuíno, de Ariano Suassuna.


Professor Zé Antenor com o autor presenteando Ariano Suassuna

Cantiga de Jesuíno - Ariano Suassuna

Meus senhores que aqui estão 
Vou contar meu desatino
A canção do cangaceiro que se chamou
Jesuíno
Seu bacamarte de prata
E o luar do seu destino
Num gibão
Todo vermelho
Um punhal no cinturão
Bem montado num cavalo
Cujo nome é Zelação
Jesuíno virou logo, ai, ai, ui, ui
Rei do povo do Sertão.

Ver a terra era seu sonho
Nobre terra do Sertão
Com o povo repartida
Pelo sol da partição
E é por isso, que ele canta
De bacamarte na mão

Eu tenho um espelho de cristal
Foi Jesus Cristo que limpou ele do pó
Mas lá um dia a terra se alumia
E o meio dia se espalha a luz do sol.

Mas os ricos se juntaram
Com o governo da nação
Lhe botaram emboscada
E ele morreu a traição
Mas o povo não esquece
Sonha com ele o sertão
E se diz que ainda hoje
Em qualquer ocasião
Alguém sofre uma injustiça
Nos caminhos do Sertão
Soam tiros do seu rifle, ai, ai, ui, ui
E o tropel de zelação
E Jesuíno brilhante
Volta feito aparição
Queima do dono da injustiça
De bacamarte na mão
Sua voz então se afasta
Cantando a mesma canção

A produção cultural recebe o decisivo apoio do engenheiro agrônomo Francisco Rodrigues (Dr. Kavey do INCRA).


Dr. Kavey e Conde Suassuna


Fonte: Blog Cosmogonia.