domingo, 9 de junho de 2019

Uma semana de alegria a todos!

Amigos e amigas, a alegria é como uma tocha de luz que permanece sempre acesa, iluminando todos os nossos atos e servindo de guia a todos os que se aproximam de nós.
Se houver luz em você e você deixar aberta a porta de sua alma, por meio da sua alegria, todos os que passarem pela estrada em trevas serão iluminados por sua luz.
Seja sua alegria contagiante, a fim de expulsar a tristeza de todos os que lhe cercam.
- Um ótimo domingo e uma semana de alegria a todos!
- Um grande abraço!
Dudé Viana

quinta-feira, 6 de junho de 2019

Vem aí o Arraial na Casa do Cordel, sábado 15 de junho

Vem aí o arraiá
que mistura a tradição
do nosso rico cordel
com os festejos de São João
resgatar nossa cultura
e encantar o coração.
Um tributo ao "Rei do ritmo"
Nosso Jackson do Pandeiro
Que completa centenário
Este grande forrozeiro
Vai tocar no Arraiá
Em todo nosso terreiro.
15 de junho é dia de festejar as tradições juninas e culturais no "II Arraiá na Casa do Cordé".

O Arraiá é realizado pela Casa do Cordel, Grupo Folia de Rua Potiguar, Central de comercialização da agricultura familiar e economia solidária - CECAFES e pelo Sebo Balalaika.Conta com a parceria do tradicional Bar da Nazaré.
O II Arraiá na Casa do Cordé inicia as 14h com o cortejo do Folia de Rua Potiguar e a feira tradicional. Produtos da agricultura familiar,orgânicos, milho, legumes, frutas,cachaçaria, cerveja artesanal, comidas típicas, sebo, instrumentos e artesanato estarão sendo comercializados.

As brincadeiras tradicionais para crianças e adultos estarão durante toda a programação, assim como caricaturas feitas na hora pelo artista Erre Rodrigo.

Na programação poética e musical o Tributo a Jackson do Pandeiro vai contar com Dudé Viana, Marconi Branco, Róger Brito, Marcelo Othon, Dona Euzinha Beija Flor(Águeda Ferreira), Mariano da Silva e o forró pé de serra com Netinho d Natal.
Serviço: II Arraiá na Casa do Cordé
Quando? Sábado, 15 de junho das 14h as 22h
Onde? Rua Vigário Bartolomeu, Cidade Alta (próximo ao Beco da lama)


Fonte: Casa do Cordel

domingo, 2 de junho de 2019

Romaria - Renato Teixeira (Laila Maya e Dudé Viana / Cover)

Hoje trago pra vocês uma música muito especial pra mim, neste clipe com Laila Maya (aluna de piano da Escola de Música da UFRN), que improvisou comigo e como uma grande cantora soltou a voz em Romaria!

- Um ótimo domingo e uma maravilhosa semana a todos!

- Um grande abraço!

Romaria - Renato Teixeira (Laila Maya e Dudé Viana / Cover), clipe postado no Youtube em 28 de maio de 2019.

sexta-feira, 31 de maio de 2019

Felicidade e um grande abraço a todos!

Você só poderá encontrar a felicidade quando souber fazê-la nascer dentro do seu coração, se gostar do jeito que você é, vai ver que a sua personalidade é única e sensacional.

Quando aprender a gostar dos outros sem distinção e ajudar com suas ações, suas palavras e seus pensamentos.

Esteja certo de que a felicidade de sua vida não pode vir de fora. Pense positivamente, tirando os maus pensamentos da cabeça, e sentirá a maior felicidade de sua vida na alegria de viver bem. Sorria sempre!

- Um ótimo fim de semana e uma maravilhosa semana a todos!

- Um grande abraço!
                                             
Dudé Viana

quinta-feira, 16 de maio de 2019

Vida minha te quero viva, vida que te quero todo dia!

Vida minha te quero viva, vida que te quero todo dia!
Vida, essência do meu ser vivo, vida nas ondas do ar,
Vida que te quero livre, vida que só entendo viva!
Vida que me leva pra onde eu possa andar...
Vida sua, que só você pode falar
Vida de corpo e alma, tão parecida com a minha
Vida de ontem, vida de hoje, pior ou melhor que amanhã?
Vida de lutas, onde vencer é possível, e com dobradinha...
Acredite em você, caminhe sempre pelas avenidas...
E o amor seja o maestro soberano das nossas vidas!

                                                   Foto: Gina Benevides
Dudé Viana no programa "Noite Cultural", do radialista Valdênio Santos na Rádio Centenário de Caraúbas (RN), com participação da professora Gina Gurgel Benevides, em 10 de maio de 2019.

domingo, 12 de maio de 2019

A Câmara Municipal de Caraúbas homenageia Antonino Benevides Carneiro



Em sessão solene, na manhã da última sexta-feira, 10 de maio de 2019, a Câmara Municipal de Caraúbas prestou homenagem a Antonino Benevides Carneiro, por proposição da vereadora Socorro Melo. E no mesmo dia, teve o lançado o cordel-livro “Família, Sonhos e Lutas de Valdetário Carneiro”, de Marciano Medeiros, a partir das 13h... na Toca da Carranca.




Naquele 10 de maio de 1918, o dia amanheceu mais feliz na casa da família Carneiro. Os ventos e os tons do outono, naquela data, emolduraram o cenário e contribuíram para que viesse ao mundo uma criança que recebeu o nome de Antonino Benevides Carneiro.

O pequeno Antonino, o 5º de 8 irmãos, filho de Maria da Paz Benevides e Cândido José Ramalho, caraubense, nascido no Sítio Língua de Vaca, fincou suas raízes nordestinas como seus pais, que eram agricultores. Foi como agricultor que ele começou a sua vida nas lides do campo.

Porém, durante a Segunda Guerra Mundial, mais precisamente nos anos de 1947 e 1948, Antonino exerceu as profissões de carpinteiro e pedreiro nos serviços da Base Aérea de Parnamirim, na Grande Natal. Ele também foi funcionário público municipal, desempenhando a árdua missão de Procurador da Subprefeitura de Janduís (RN).

O jovem Antonino Carneiro, posteriormente tornou-se um cidadão de grande expressão na política da sua cidade. Em outubro de 1958, foi reeleito vereador pela legenda da UDN, com 207 votos, obtendo, com esta votação, o primeiro lugar entre os candidatos de sua legenda à municipalidade legislativa de Caraúbas.

Na eleição anterior, já tinha sido eleito com 292 votos pelo Partido Republicano. Por um passado que honrou a política de seu município, recebeu a justa homenagem de ter seu nome estampado na sede do legislativo caraubense, que se chama Antonino Benevides Carneiro.

Ainda em Caraúbas, Antonino foi comerciante e teve um caminhão misto, no qual, fazia a linha: Caraúbas a Natal, uma vez por semana, em meados dos anos 1960.

Vale dizer que em 1950, na cidade de Janduís, na época um povoado do município de Caraúbas, desafortunadamente o destemido Antonino se envolveu em uma confusão com um membro da família Saldanha e terminou alvejado por 5 disparos de armas de fogo, deflagrados por um pistoleiro dos Saldanha.

Mesmo baleado, Antonino reagiu e com um tiro matou o pistoleiro, mas a partir desse fato, nunca mais teve paz em sua vida.

Foram 17 anos de conflitos, perseguições e emboscadas. O último e cruel desenlace se deu em um embate com um Delegado de Polícia (sargento da PM), no centro de Caraúbas.

O seu irmão mais velho, Raimundo Pedro Benevides - figura que também merece ser inesquecível nesta cidade, pelos relevantes trabalhos prestados na saúde - tentou apaziguar os dois. Porém, a força do ódio predominou e consolidou o fato que marcou o 17 de outubro de 1967 em Caraúbas e região.

Naquele dia, desapareceu para sempre o Antonino Carneiro, mas antes de morrer ele fez as pazes com os Saldanha. Ele acreditava, acima de tudo, na verdade. “Que ninguém poderia sofrer alguma punição por estar com a verdade”, dizia ele.

Hoje, Antonino completaria 101 anos. Era casado com Maria da Luz Gurgel. O casal teve 9 filhos. Esse é um breve resumo da história do descendente de uma família que chegou nesta terra antes da igreja Matriz. A junção de várias famílias, todas de imenso valor, construiu Caraúbas, a cidade de ontem e de hoje.

Nossos agradecimentos ao presidente da Câmara e aos demais envolvidos na homenagem a Antonino Benevides Carneiro.

Texto: Dudé Viana
Revisão: Roberto Homem
Desenho de Antonino: Pedro Wlgerlhes
Diagramação: Erick Lima


P.S. - Maria da Paz Benevides e Cândido José Ramalho, pais de Antonino, é a Maria da Paz Carneiro e o Cândido Pedro Ramalho, pais de José Daniel Carneiro (Zé Daniel) e outros da família.

                                                                
A advogada Ivna Benevides na coordenação do evento, O radialista Tadeu Benevides e Neta Benevides, viúva de Valdetário Carneiro, que recebeu uma obra de arte feita pelo artista Salomão Gurgel.

Westterlley Benevides e Dudé Viana

Elionaldo Benevides, Onesimar Carneiro, Westterlley Benevides... e Rilbano Benevides.

Ivna Benevides e Westterlley Benevides Carneiro

O engenheiro agrônomo Elionaldo Benevides, Dudé Viana, Tadeu Benevides e Tadeu Alves


Erick Gurgel e a prima...

Ivna Benevides, Salomão Gurgel, Ridália Benevides, Neta Benevides, Selma Gurgel, Gesamar Benevides e Socorro Melo.

Dudé Viana, Gesamar Benevides, poeta Marciano Medeiros, Ridália Benevides e o vereador Chiquito Praxedes.

Vandia Benevides, Gesamar Benevides, Ridália Benevides, Tadeu Benevides, Célia Barreto, Neta Benevides e Jojoba Gurgel.

Professor Onesimar Carneiro, Tadeu Benevides, Westterlley Benevides, Gesamar Benevides... Selma Gurgel, Cassinha do Belém...

Professora Ginevra Gurgel, músico Pedro Wlgerlhes, Irismar, Salomão Gurgel, Jojoba Gurgel e Orlando Gurgel. 

Elionaldo Benevides, Tadeu Benevides e Tadeu Alves

Onesimar Carneiro

Gina Gurgel, Damião Gurgel e Salomão Gurgel


Erick Gurgel, que atuou na organização da homenagem ao seu bisavô Antonino..., posa pra foto com o primo Pedro Wlgerlhes.

Neta Benevides e Socorro Melo

Cassinha do Belém...

Pedro Wlgelhes cantando na homenagem ao seu avô Antonino

Gesamar Benevides, Damião Gurgel, Silverio Marinho e Vandia Benevides (atrás), Genita Alves, Dudé Viana, Tadeu Benevides e Noima Gurgel Amorim.

Vereadora Socorro Melo, propositora da homenagem a Antonino Benevides Carneiro

Ridália Benevides, Neta Carneiro e Selma Gurgel...







Fotos cedidas por Ridália Benevides.

domingo, 5 de maio de 2019

Um milhão de amigos...

Assim como o Roberto Carlos 
Eu quero ter um milhão de amigos,
E o Vinícius de Moraes
Que num bar me falou dos perigos,
Dos que não buscam amizade 
E sofrem com os seus castigos.
Um ótimo domingo!
E uma semana maravilhosa,
Aos meus amigos e amigas
Muita luz e boa prosa!

(Imagens do espetáculo "Cordelatro" produzido pela Casa do Cordel e Aliança Francesa Natal, sexta-feira passada 03/05).

Zé Martins, Chico de Iaiá, Gélson Pessoa, Fátima Régis, Emmanoel Iohanan, Joaquim da Viola, Abaeté do Cordel e Dudé Viana.


quinta-feira, 2 de maio de 2019

Dudé Viana - Violão e Guitarra - Para iniciantes na arte de combinar os sons

Música: Violão e Guitarra (Dudé Viana). As notas musicais obedecem a uma ordem que chamamos de ESCALA, esse termo vem do italiano e quer dizer ESCADA. Portanto, podemos fazer música até subindo numa escada, indo desde a nota mais grave até a mais aguda. Se você nasceu na década de 1980 ou antes, sabe das famosas “revistinhas” de cifras compradas em bancas de jornal e que muita gente aprendeu a tocar violão ou guitarra com elas, que eram repletas de músicas cifradas. E foi nessa época que Dudé compôs Violão e Guitarra. Hoje, em grandes sites colaborativos encontramos milhares de cifras gratuitamente. O local mudou, mas as cifras continuam sendo uma das formas mais fáceis de se aprender os acordes de uma música. No entanto, muita gente aprende a escala do braço do violão ou guitarra e toca qualquer música sem consultar as cifras, sem ler. Clipe gravado na manhã de sábado (27/04/2019) no IFRN Campus Cidade Alta - Natal. Agradecimentos: À direção do IFRN em nome de Carlos Eduardo Campos Freire (diretor) E Jean Flávio Pires (coord. de apoio acadêmico). Gravação: Plácido Cello. Edição: Paulo César. Violão e Guitarra (Dudé Viana) Violão e guitarra Eu carrego na sacola Os dois são irmãos Na família da viola Violão de 6 cordas Com escala e afinação Os acordes da guitarra Também são do violão Violão dos poetas Dos artistas e canções Guitarra Clássica milenar Dos festivais e tradições Guitarra de muitos povos De controversa na história Violão que harmoniza Os neurônios da memória Violão das calçadas Dos saraus e casamentos Que toca em todo canto É o rei dos instrumentos.

                                                       
Clipe publicado no canal de Dudé Viana, neste 1º de maio de 2019.

domingo, 28 de abril de 2019

Atitude positiva sempre!

Atitude positiva - mesmo nos momentos mais difíceis, o tempo nos dará a oportunidade de voltar e tudo mudar... por mais que a vida apresenta problemas, manter a cabeça sempre otimista e tentar não desanimar é importante. Pensamentos positivos ajudam a manter nossa lucidez e aumentam a nossa criatividade.
Eu só queria ter o dom da palavra, para fazer todo mundo acreditar que a alegria é a saúde da alma e o otimismo é a alegria do amanhã com saúde no corpo e mente. Atitude positiva sempre!
Um ótimo domingo e uma maravilhosa semana a todos!
Forte abraço!

Na imagem de 2017, estou com o professor Lerson Fernando Maia e o poeta Abaeté do Cordel, em Chalés Águas de Athenas, Lagoa de Boa Água, no município de Nísia Floresta, região agreste do RN.

domingo, 21 de abril de 2019

Feliz Domingo de Páscoa a Todos!

Feliz domingo a todos!
Páscoa é ressurreição,
É amor e é esperança
Paz interna no coração,
Que nos permite sentir
Uma vida de gratidão!

Dudé Viana na Serra de São José, em Venha-Ver (RN), em 10 de março de 2019

sexta-feira, 19 de abril de 2019

Feliz Páscoa! E Você

Feliz Páscoa! E você
Renasça em seu coração,
Renovando amor e esperança
Com Jesus na união,
Vida e respeito humano
E a paz seja a lição.

Se abrace e se ame
Com a mais pura afeição,
Que pra ser feliz assim
Em época de ressurreição,
Basta um sorriso no rosto
Com todo seu coração.

Ame a sua missão
Que mal começaste a vida,
Escute o cantar dos pássaros
Que não fala em partida,
Veja o Sol que te aquece...
Feliz páscoa vívida!

- Feliz Páscoa a todos!


                                                            Foto: Damião Gurgel
Dudé Viana - Estação de Trem de Marechal Hermes - Rio de Janeiro

terça-feira, 16 de abril de 2019

Abelha Carente e sua História.

Vejam que legal: Janílson, um músico da Escola de Música (UFRN), me presenteou no domingo passado (14) com uma partitura de ‘Abelha Carente’. Essa canção, que compus e gravei no CD ‘Acredite em você’ (2002), tem uma história muito interessante.

Uma menina, de 8 anos, chorava à morte de um Beija-flor que morreu eletrocutado e ficou pendurado em um fio da rede elétrica. Naquele momento, com uma vara de bambu, ela tentava soltar o pássaro do fio.

Eu passava na rua e vi aquela cena, me aproximei e falei: menina, não faça isso que é muito perigoso, você pode receber um choque elétrico e morrer!

Ela, com os olhos cheios de lágrimas, me olhou e perguntou: tio, você pode soltar ele para mim?

Consegui, mas ficaram algumas penas penduradas... e vi na blusa da menina a estampa de uma abelha. Então, o beija-flor morto e a imagem da abelha na blusa da menina (na minha imaginação a menina virou abelha) e já saíesvre de lá escrevendo a letra e com a melodia na cabeça.

Esse fato aconteceu no bairro de Bento Ribeiro no Rio de Janeiro em 2002.



                                                                         
Abelha Carente
(Dudé Viana)

Sou uma abelha carente de flores
Preciso fazer o mel
Mas a minha antiga floresta
É hoje cidade de fel

Minhas asas, minhas asas feridas
De baterem nas antenas
O beija-flor
Um sofredor como eu
Beijou um fio e morreu

Ainda ontem eu vi suas penas
Penduradas, mas sem alma pra voar
Oh! Beija-flor é pra você
Esse meu cantar de amor
Oh! Beija-flor é pra você
Esse meu cantar de amor...

sexta-feira, 12 de abril de 2019

Pensamento positivo, Gente!

Ah, como eu gostaria de ser mais inteligente para fazer muita gente forte nos embates da vida. Fazer muita gente acreditar que a vida pode ser bem melhor! Não desanime, acredite em você, nos amigos de verdade, acredite no Criador!

Inteligência suficiente para provar que nossos pensamentos têm ondas reais que se irradiam no nosso cérebro e formam uma atmosfera mental própria de cada pessoa, uma proteção suficiente para nossos obstáculos diários. Pensamento positivo, Gente!

– Um ótimo fim de semana a todos!

Dudé Viana

quarta-feira, 10 de abril de 2019

Alô, Rio de Janeiro!

Alô, Rio de Janeiro!
Gosto muito de você,
E sinto com seu povo
Nesse acaso ou porquê,
Do furioso temporal
Contra a beleza que se vê.

(Estou com Gesamar Benevides e Guilherme William Gurgel, foto de Lima Ribeiro).

Dudé Viana, Guilherme William Gurgel e Gesamar Benevides.

sexta-feira, 5 de abril de 2019

Ah! Se olhasse antes

O que eu sinto não consigo compreender
Por que os seres humanos tanto se debatem, se combatem
Se agridem e se matam (bem cantado por Vander Lee em Onde Deus Possa Me Ouvir)
Se não fizessem nada e não dissessem nada
Mas enxergassem o outro como alguém que precisa viver...
Talvez não brigassem!

Se cada um enxergasse o outro como um ser humano
Olhando por dentro o sangue que corre nas veias
O coração que bate no peito, tudo tão igual
Enxergando a dor ou o amor de cada um...
Talvez não torturasse!

Se o algoz olhasse antes à essência do outro
Que como todo mundo precisa dormir, acordar, fazer xixi
Tomar café, almoçar, jantar, estudar, trabalhar e se divertir...
Talvez não matasse!

(Na imagem estou com o exímio ator Dionízio Cosme do Apodi, em Mossoró.
Crédito da foto: Rubens Medeiros).

- Um forte abraço e um ótimo fim de semana a todos!


Dudé Viana e Dionízio Cosme do Apodi

quarta-feira, 3 de abril de 2019

Banho de chuva bem cedinho

Hoje bem cedinho, entre 6h e 7h, eu tive uma alegria do meu tempo de criança no sertão, corri debaixo de um toró, de uma chuva forte, num trecho de 8 km entre a Zona Oeste e a Zona Sul de Natal, passando pelo Parque da Cidade. Foi show, gente!

                                                            Foto: Janeide Benevides

Dudé Viana

domingo, 31 de março de 2019

Como as músicas eram liberadas pela Ditadura Militar?

A pedidos, segue a letra de música para os amigos mais jovens de profissão e que me perguntam como era feito na época da Ditadura Militar para liberar músicas.

(Antes quero informar ou lembrar de que nessa época o meu nome era só José Filho, artístico Dudé. Eu não tinha sobrenome no RG).

Pois bem, as letras musicais eram digitadas em 3 vias com papel carbono, duas ficavam com a censura e uma com o autor, que só podia gravá-las em disco ou cantá-las no rádio, na televisão ou em show depois de liberadas.

Por causa do tempo a cópia em papel carbono vai se apagando... mas acho que dá para ler. Muitas outras já se apagaram....

Música: A Aurora do Bem Querer, liberada para gravação em 27 de agosto de 1980.

Um forte abraço a todos!

sábado, 30 de março de 2019

Um ótimo fim de semana a todos!

Oi! Gente amiga que se liga na vida e deseja tornar mais belo este mundo. Um pequeno gesto, uma ação simples, pode melhorar muito o ambiente em que se vive ou trabalha, elevar o entusiasmo de quem está desanimado, reanimar aquele que está desiludido.

Cada um dando sua parcela. Um simples aperto de mão confiante faz renascer, por vezes, a coragem de quem estava por fraquejar.

Que a paz possa estar em seu coração e a alegria se manifestar em todos os momentos da sua vida, mesmo nos dias mais difíceis! E que viver em família com calma e tranquilidade seja possível a todas as famílias na cidade ou no campo!

- Um ótimo fim de semana a todos!

- Um grande abraço!

Dudé Viana

quarta-feira, 27 de março de 2019

Neste 27 de março, Dia Mundial do Teatro

Hoje 27 de março, Dia Mundial do Teatro, homenageio amigos e todos que fazem teatro, lembrando um pouco o musical infantil "O Sol, o Vento e a Chuva" (1977/78), da autoria deste cantautor, que com a amiga cantora/atriz Maria Zenaide montou a peça e percorreu escolas e teatros da periferia do Rio de Janeiro por 2 anos... No elenco: o ator Lai (o Sol), Dudé (o Vento) e Zenaide (a Chuva).

O grupo fundado por Dudé e Zenaide se chamava Grupo de Teatro Sem Nome, com sede na Av. Gen. Osvaldo Cordeiro de Farias, 77 - Mal. Hermes, Rio de Janeiro - RJ.

                                             Foto: Wagner Soeiro dos Santos
Dudé Viana, Lai e Maria Zenaide

terça-feira, 26 de março de 2019

Acompanhe meu canal

Enquanto o mundo me aturar
Enquanto a vida me quiser,
Com Deus sempre a me guiar
Nas canções que eu compuser,
Meu destino de andarilho
Vou pra onde ele disser.

                                                        Foto: Pedro Jailton
Pedra das três fronteiras: Poço Dantas (PB), Venha-Ver (RN) e Icó (CE), neste 10 de março, gravação do videoclipe ‘Canto de Promissão’ na Serra de São José, a mais alta do RN, e outros pontos de Venha-Ver, cidade situada no extremo oeste do estado, na região do Alto Oeste Potiguar.

sábado, 23 de março de 2019

Não cabe, todavia, perder a esperança!

Feliz de quem no mundo globalizado consegue manter a sensação da presença de Deus no seu coração e irradiar otimismo e amor, equilibrar seus pensamentos num clima de serenidade e compreensão humana, quando pouco se ensina sobre como compreender uns aos outros, como compreender nossos pais, nossos filhos, nossos parentes, nossos vizinhos...

As pessoas andam vazias, com medo umas das outras, e quase ninguém mais liga para ninguém. São poucos os que realmente se importam. Os que realmente ficam do nosso lado sem interesse em alguma coisa que nos pertence ou que nos amem de verdade e só queiram nosso bem.

Muitos jovens sem perspectiva de futuro no mundo globalizado andam muito mais deprimidos, fragilidade emocional, frustrações, estrutura familiar, comportamento, palavras-chave para jovens que deveriam descobrir a vida de maneira prazerosa, no entanto, sofrem e, muitas vezes, perdem a vontade de viver.

O que fazer para termos uma globalização mais humana?  Não cabe, todavia, perder a esperança!

- Um ótimo fim de semana a todos!

                                                          Foto: Estúdios Oliveira
Dudé Viana na Pedra das Três Fronteiras em Venha-Ver (RN), Poço Dantas (PB) e Icó (CE).