terça-feira, 22 de novembro de 2022

Biografia de Dudé Viana atualizada

Biografia de Dudé Viana

Dudé Viana (José Viana Ramalho) é natural do município de Caraúbas/RN, nasceu no Sítio Poço Redondo, no dia 5 de julho de 1950.  Cantor, compositor e violonista, Dudé se mudou para Natal em 1969. Nesta cidade foi feirante e vendia frutas e verduras com um tio, depois foi cobrador de ônibus interurbano na extinta empresa Autoviária Cabral nas linhas: Natal - Assu, Natal - São Rafael e Natal - Caraúbas, quando em uma de suas idas a Caraúbas trouxe de carona sua mãe e seus oito irmãos para Natal.

Começou sua carreira musical no ano de 1972, em Natal, e não parou mais de cantar.  Representante de uma corrente de música popular brasileira, com raízes nordestinas, canta e toca de uma maneira original e intimista, conduzindo o ritmo ao violão e a voz. Dudé Viana é um talento nato: influenciado por violeiros que sempre faziam cantoria na residência do seu avô, João Francisco Viana, aos 10 anos já tocava gaita no interior do RN e logo depois aprendeu a tocar violão e a compor músicas.

Em 1974, foi para o Rio de Janeiro, onde fez alguns trabalhos na noite, e de lá foi, em 1975, para São Paulo, onde atuou na noite. Retornou para o Rio de Janeiro no final de 1976. Foi quando em escreveu o musical infantil “O Sol, o Vento e a Chuva”, que montou em um grupo de teatro no bairro de Marechal Hermes, com a atriz/cantora Maria Zenaide. Ficaram dois anos em cartaz em teatros e escolas da periferia do Rio de Janeiro. Do final da década de 70 até 1982, fez parte do grupo musical “Galho Seco”, no bairro de Bangu, e compôs canções em parceria com os músicos Antônio Alonso e Celso Pinheiro, entre outros.

Atualmente, com sete discos individuais na bagagem, três coletâneas divididas com outros artistas e diversos shows realizados em todo o Brasil, Dudé Viana compôs canções em memória de escritores e poetas potiguares: “Outdoor de Cultura Popular" (homenagem de Dudé a Luís da Câmara Cascudo), "O Pilão Sertanejo” (poema do professor e folclorista Deífilo Gurgel musicado por Dudé) e “A Ponte” (poesia de Zila Mamede a qual Dudé musicou).

Não é demais lembrar que "A Ponte" foi incluída na trilha sonora do curta “Pegadas de Zila”, do cineasta Valério Fonseca, estrelado pela atriz Rosamaria Murtinho. O filme ganhou prêmio do Banco do Nordeste como melhor temática nordestina no 7º Fest Aruanda, realizado em João Pessoa/PB, no ano de 2011.

Discografia: “Seca no Sertão” (1980), “Embaixo das Estrelas” (1987), este com a cantora e atriz Maria Zenaide, o CD “Violas e Cantigas” (1997), o CD “Acredite em Você” (2002), o CD Acústico e ao vivo “Papo Show - isso só acontece comigo!” (2009), com participações do grupo Meirinhos do Forró (atual: Forró Meirão) e do sanfoneiro Caçula Benevides, o CD “O Andarilho das Canções” (2011) e o seu mais recente trabalho, o CD “Flor no Deserto” (2016).

Em 2013, Dudé Viana gravou o seu DVD de 40 anos de música, intitulado: “O Andarilho das Canções – Dudé Viana e amigos”, gravado no Rio Grande do Norte, em Macapá, no Rio de Janeiro e Distrito Federal. 

Participou de importantes projetos coletivos de discos como “Marechal Hermes - 90 anos de encontros musicais”, AsCEM (2002), no Rio, com a música de sua autoria ‘Toque a Vida’, do CD da Assembleia Cultural - AL/RN (2006), em Natal, com a música de sua autoria ‘Acredite em Você’, e do CD “Marechal Hermes - 95 anos de encontros musicais”,AsCEM - RJ (2008), com a música ‘Ah! Se eu fosse um poeta’, de sua autoria em parceria com Salete Pimenta Tavares. E ainda “Seis e Meia”, no Rio e em Natal, “Fim de Tarde” no Rio e shows no “SESC/São Paulo”, e em espaços de diversos estados brasileiros como Distrito Federal, Amapá, Minas Gerais e Paraná. 

Dudé Viana teve vários artigos publicados em jornais já extintos como “Notícias Populares”, de São Paulo, “Gazeta de Notícias”, do Rio de Janeiro, e “Diário de Natal”.  E outros que continuam nos dias atuais em Mossoró e Natal como “Jornal de Fato”, “Jornal Zona Sul” e “Tribuna do Norte”.

Em 2006, Dudé Viana lançou o livro "A Saga Benevides Carneiro", da sua autoria, que enfoca a verdadeira e interessante história da família Benevides Carneiro desde sua origem na Espanha até sua chegada ao Rio Grande do Norte, no século XVIII, e seus dias atuais... Sua junção com as famílias Fernandes, Gurgel, Praxedes (derivada dela) e Ramalho entre outras. Com 2ª Edição lançada em 2010.

Em 2009, A Câmara Municipal de Apodi, confere título de cidadão apodiense a Dudé Viana, pelos relevantes serviços prestados à cidade de Apodi.  A Câmara Municipal do Rio de Janeiro, confere voto de louvor e reconhecimento a Dudé Viana, no dia 7 de outubro, Dia Nacional do Compositor.

No momento, Dudé Viana atua na produção de shows e de videoclipes para o seu canal Dudé Viana - youtube. com/@dudeviana

Dudé Viana no Porão das Artes em 16/10/2022

Foto: Porão das Ates - Nelson Rebouças 

Nenhum comentário:

Postar um comentário